quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

SANTO E FELIZ NATAL 2013!


Alegra-te! O céu abre-se de par em par. Não para uma chuva de graças, mas para que o próprio Deus venha até nós. E Deus vem, não para nos dar alguma coisa ou ajudar-nos; vem para ficar connosco. E não apenas para ficar connosco, mas para ser um de nós. 
Deus não só olha o homem com amor compassivo, mas com amor de amigo, com amor apaixonado. Tanto amou Deus o mundo…! Tanto amou Deus o homem…! Tanto te ama Deus a ti e tanto me ama Deus a mim...! Podemos afirmar que a razão da sua Incarnação é o AMOR.
Abre-te ao amor imenso de Deus. Ama a Deus e deixa-te amar por Ele. Amei-vos, diz Deus, não tanto para que me ameis, mas para que vos ameis uns aos outros, especialmente o mais pequeno e necessitado. Amai-vos como eu vos amei… só assim será verdadeiramente Natal.  

Um abraço cheio de amizade e votos de um Santo e Feliz Natal para todos os amigos, benfeitores e colaboradores das OMP - Portugal

P. António Lopes, SVD
e João Cláudio

Foto: DR

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

LAMEGO ACOLHEU XV FÓRUM ECUMÉNICO JOVEM


Ousar permanecer em Cristo

300 jovens ‘invadiram’ o Seminário Maior de Lamego a 9 de Novembro. O FEJ 2013, na sua XV edição, é organizado pelos departamentos juvenis das Igrejas Católica Romana, Lusitana, Metodista e Presbiteriana. Os objetivos, desde 1999, são: encontrar jovens de outras Igrejas; partilhar experiências de fé e de missão; rezar em conjunto; aprofundar temas de fé, cultura e cidadania; fazer festa; conhecer melhor outras Igrejas; conviver.
 ‘Permanecei em Cristo’ foi o lema escolhido em tempo de pós-vindimas, por terras de Alto Douro Vinhateiro. Tudo começou com o acolhimento assegurado pelo Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil de Lamego, coordenado pelo P. Bráulio. O P. João Carlos, pró-Vigário Geral da Diocese, deu as boas vindas aos participantes neste evento e abriu as portas do Seminário Maior a jovens vindos de várias dioceses, de norte a sul do país.
Depois, coube às Igrejas apresentarem-se, de forma criativa, aos jovens. E assim se chegou a um almoço partilhado, onde Lamego ofereceu o que constituiu imagem de marca desta terra: o presunto, a bôla, as maçãs…para além de um caldo verde em dia frio e chuvoso.


D. António Couto, biblista e bispo de Lamego, abriu a tarde para explicar aos jovens a parábola da videira verdadeira que é Cristo. Apresentou como solução única a enxertia para que dê frutos doces e abundantes. Há que saber também que a limpeza/poda se faz pela Palavra de Deus e é preciso fazer um novo percurso de vida para dar frutos.
O trabalho em onze grupos tentou responder aos desafios lançados por D. António Couto para ajudar a refletir sobre a comunhão, a união a Cristo, a conversão para que haja mais frutos na vida de cada um e das comunidades de pertença.
A celebração final, de envio, teve como momento forte o compromisso dos participantes na construção de vidas e comunidades bem enxertadas em Cristo e, por isso, geradoras de felicidade e comunhão, produzindo frutos abundantes.
A animação das assembleias plenárias e da celebração foi confiada ao grupo musical Almacave Jovem, de Lamego.
Na hora do regresso a casa, era visível a alegria espelhada no rosto dos jovens que, em número muito elevado, quiseram inscrever-se no FEJ, evento que já teve edições em Braga, Viana, Porto, Gaia, Aveiro, Guarda, Viseu, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa e Montijo.

Tony Neves,
Equipa Ecuménica Jovem

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

A IGREJA É APOSTÓLICA , É MISSIONÁRIA E NÃO PODE FICAR FECHADA EM SI MESMA.



Professar que a Igreja é apostólica, explicou o Papa Francisco, significa destacar o elo profundo, constitutivo que ela tem com os Apóstolos. “Apostolo” é uma palavra grega que quer dizer “mandado”, “enviado”. Os Apóstolos foram escolhidos, chamados e enviados por Jesus, para continuar a sua obra. Partindo desta explicação, o Papa destacou brevemente três significados do adjectivo “apostólica” aplicado à Igreja.
Em primeiro lugar, a Igreja é apostólica porque está fundada sobre a pregação dos Apóstolos, que conviveram com Cristo e foram testemunhas da sua morte e ressurreição. “Sem Jesus, a Igreja não existe. Ele é a base e o fundamento da Igreja”, recordou o Papa, afirmando que a Igreja é como uma planta, que cresceu, se desenvolveu e deu frutos ao longo dos séculos, mas mantêm suas raízes bem firmes em Cristo.
Em segundo lugar, a Igreja é apostólica, porque Ela guarda e transmite, com ajuda do Espírito Santo, os ensinamentos recebidos dos Apóstolos, dando-nos a certeza de que aquilo em que acreditamos é realmente o que Cristo nos comunicou.
“Ele é o ressuscitado e suas palavras jamais passam, porque Ele está vivo. Hoje Ele está entre nós, está aqui, ouve-nos. Ele está no nosso coração. E esta é a beleza da Igreja. Já pensamos em quanto é importante este dom que Cristo nos fez, o dom da Igreja, onde podemos encontrá-Lo? Já pensamos que é justamente a Igreja – no seu longo caminhar nesses séculos, apesar das dificuldades, dos problemas, das fraquezas, os nossos pecados – que nos transmite a autêntica mensagem de Cristo?”
Enfim, a Igreja é apostólica porque é enviada a levar o Evangelho a todo o mundo. Esta é uma grande responsabilidade que somos chamados a redescobrir: a Igreja é missionária e não pode ficar fechada em si mesma.
“Insisto sobre este aspecto da missionariedade, porque Cristo convida a todos a irem ao encontro dos outros. Envia-nos, pede-nos que nos movamos para levar a alegria do Evangelho. Devemos perguntar-nos: somos missionários com a nossa palavra ou através da nossa vida cristã? Com o nosso testemunho? Ou somos cristãos fechados nos nossos corações e na nossa igreja? Cristãos de sacristia? Cristãos só de palavras mas que vivem como pagãos? Isso não é uma crítica, também eu me questiono: Como sou cristão? Com o testemunho, realmente? A Igreja tem suas raízes no ensinamento dos apóstolos, mas olha sempre para o futuro, com a consciência de ser enviada por Jesus, de ser missionária, levando o nome de Jesus com a oração, o anúncio e o testemunho. Uma igreja que se fecha em si própria e no passado, ou uma igreja que olha apenas para as pequenas regras de hábitos, de atitudes, é uma Igreja trai sua própria identidade. Uma Igreja fechada trai a sua própria identidade. Redescubramos hoje toda a beleza e a responsabilidade de ser Igreja apostólica.”


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

QUAL É A MISSÃO DA IGREJA?




“Qual é a missão da Igreja? Difundir em todo o mundo a chama da fé, que Jesus acendeu no mundo: a fé em Deus, que é Pai, Amor, Misericórdia. O método da missão cristã não é fazer proselitismo, mas o da chama compartilhada que aquece a alma. Agradeço a todos aqueles que, através da oração e da ajuda, concreta apoiam o trabalho missionário, em especial a preocupação do Bispo de Roma pela difusão do Evangelho. Neste dia estamos próximos a todos os missionários e missionárias, que trabalham muito sem fazer barulho, e dão a vida. Como a italiana Afra Martinelli, que trabalhou por muitos anos na Nigéria: dias atrás, foi assassinada num assalto; todos choraram, cristãos e muçulmanos. Era bem querida. Ela proclamou o Evangelho com a vida, com o trabalho que realizou, um centro de educação; assim espalhou a chama da fé, combateu o bom combate!” - Palavras do Papa Francisco no Angelus do Dia Mundial das Missões.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

A MISSÃO ... NA ECCLESIA RÁDIO


No dia mundial das missões a Ecclesia rádio conversou com Nuno Fonseca, membro dos “Jovens Sem Fronteiras” e que durante 2 anos esteve em missão em São Tomé e Príncipe. Na mesma emissão o testemunho do padre António Lopes, director das obras missionárias pontifícias.
Ouça aqui a entrevista toda em: 



sexta-feira, 18 de outubro de 2013

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Outubro Missionário - Jornadas Mundiais Juventude - Jornadas Missionárias 2013


Outubro Missionário - Jornadas Mundiais da Juventude / Jornadas Missionárias Nacionais 2013 - II Jornadas Nacionais da Pastoral Juvenil
Entrevista ao P. António Lopes, Director Nacional das Obras Missionárias Pontifícias


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Jornadas 2013 - INSCRIÇÕES ONLINE



Nos dias 20, 21 e 22 de Setembro realizar-se-ão as Jornadas Missionárias em Fátima, com o tema: “MISSÃO A@GENTES – Ide e Anunciai!”.
Já se encontram abertas as Inscrições online na página das OMP.

A grande novidade deste ano é que as Jornadas se realizam em conjunto com as II Jornadas Nacionais da Pastoral juvenil. Esta feliz coincidência é impregnada das palavras do Papa Francisco: “ Queridos jovens, imagino-vos fazendo festa ao redor de Jesus… imagino-vos gritando o seu nome e expressando a vossa alegria por estardes com Ele! Vós tendes uma parte importante na festa da fé! Vós trazei-nos a alegria da fé e dizeis-nos que devemos viver a fé com um coração jovem, sempre: um coração jovem, mesmo aos setenta, oitenta anos! Coração Jovem! Com Cristo, o coração nunca envelhece”.

Nestas Jornadas missionárias, queremos refrescar o nosso coração. Viver esses dias de modo diferente. Para isso muito nos ajudarão as conferências a que assistiremos com agrado e emoção assim como nos workshops em que participaremos de uma maneira ativa:  Juventude e Família. Juventude e cultura. Ecos dos JMJ do Rio de Janeiro.

Sabemos que a Missão está sempre fora de nós, exigindo um movimento para o exterior, saindo da própria casa e partindo, não se acomoda ao já alcançado mas é capaz de deixar estruturas e situações para iniciar projetos novos em situações que requerem o primeiro anúncio do Evangelho e revitalizando de maneira criativa o que já existe. Ai de nós se ficássemos agarrados ao contentamento do já feito!
É por isso que o papa Francisco pedia aos jovens para dizerem ao mundo: “ é bom seguir Jesus; é bom andar com Jesus; é boa a mensagem de Jesus; é bom sair de nós mesmos para levar Jesus às periferias do mundo e da existência”.

Oxalá estas Jornadas despertem em todos nós a vontade de continuar a ser no mundo a “alegria suave e consoladora da evangelização” como dizia o Papa Paulo VI.  

Participa! Faça a sua inscrições Online!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

JORNADAS DIOCESANAS DA JUVENTUDE 2013






“Ide e fazei discípulos de todas as nações” foi este o tema da Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) que decorreu no  Domingo, 21 de Abril, em Belém.
A JDJ teve início no Colégio São José, no Restelo, com o acolhimento dos jovens e seguido de um momento de partilha sobre a vida de S. Francisco Xavier pelo padre Miguel Almeida, sj. Depois do almoço, no jardins de Belém, mais de 1000 jovens puderam ouvir os testemunhos de Gonçalo e da Maria João Archer (Leigos para o Desenvolvimento), Fernando d’Oliveira (Assistente Centro Hospitalar do Telhal) e o Professor Marcelo Rebelo de Sousa sobre “Ser testemunhas, hoje”.
Ainda durante a tarde, na Praça do Império, os jovens tiveram um momento de oração, antes do encontro com D. José Policarpo. “O Cristianismo não é um discurso, não é uma teoria, é uma experiência, uma experiência que se comunica…uma  experiência da qual se deve dar testemunho… por isso Evangelizar é pôr-se a caminho”, partilhou D. José.
No dia do Bom Pastor o cardeal-patriarca presidiu à celebração da eucaristia, no Mosteiro dos Jerónimos, antes do concerto que encerrou a jornada, pelo grupo ‘Anima Christi’. Um dia cheio de alegria, partilha e oração.


Texto / Fotos: João Cláudio



quinta-feira, 18 de abril de 2013

INFÂNCIA MISSIONÁRIA - SITE





As Obras Missionárias Pontifícias arrancaram hoje com um novo espaço, na Web, para a Infância Missionária (www.infancia.opf.pt ). O site onde todas as crianças, grupos de catequese e da santa infância poderão encontrar diversos materiais, actividades e jogos  para explorar. 

quinta-feira, 14 de março de 2013

HABEMUS PAPAM




Acolhemos com alegria o novo Bispo de Roma que o Espírito Santo deu à Igreja Universal.
Alegramo-nos com o nome escolhido, FRANCISCO , certos de que o serviço prestado à Igreja Universal será simples, belo, fraterno e apaixonadamente missionário, se pensarmos em S. Francisco de Assis e em S. Francisco Xavier.
Santo Padre Francisco conte connosco: com a nossa oração, a nossa generosidade e entrega à Missão.

Texto: P. António Lopes, SVD
Foto: Lusa

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

INFÂNCIA MISSIONÁRIA – Diocese de Beja


“Crianças ajudam crianças”


O lema da Obra da Infância Missionária é “Crianças ajudam crianças”. Tem quase 170 anos (9 de Maio de 1843) e pretende mobilizar as crianças e adolescentes para a dimensão missionária da Igreja, através da oração e da partilha. As Obras Missionárias Pontifícias, em Portugal, assumiram um desafio de relançar nas dioceses esta forma de ir ao encontro dos mais novos para incutir neles a força da missão. Com o slogan “Com as crianças da Ásia procuramos Jesus” foi distribuído pelas catequeses diverso material, de modo particular o presépio, com uma caminhada de advento e o mealheiro para a partilha, cujo produto ajudará as crianças na Índia a terem uma escola onde possam aprender a ler e a escrever como convém; e nas Filipinas, as crianças e adolescentes de um orfanato a poderem ter refeições durante um ano. Na nossa Diocese, esta iniciativa foi lançada, no dia diocesano, pelo Centro Diocesano Missionário e pelo Departamento Diocesano da Catequese da Infância e Adolescência.

Celebração da Festa da Infância Missionária

No domingo da Epifania, as crianças e os adultos, em celebração diocesana, presidida por D. António Vitalino, subiram à Igreja do Castelo, em Santiago do Cacém, para viverem a “manifestação do Senhor aos povos gentios”.
De longe, lá no alto, na torre do Castelo, vislumbrava-se uma estrela. No interior do templo, faixas simbolizando os 5 continentes e cartazes com os nomes dos 6 arciprestados conduziam as pessoas até ao presépio vivo. Uma multidão de gente encheu o templo.
O Evangelho, proclamado e encenado, com a presença dos Magos, de Herodes e dos sacerdotes, criou expectativa e espanto nas crianças e nos adultos. Foi um momento de rara beleza. O novo caminho feito pelos Magos serviu de tema à homilia proferida pelo presidente da celebração.
Ao ofertório, as crianças, saídas do meio da assembleia, dirigiram-se ao presépio e depositaram os seus mealheiros junto dos presentes que os Magos ofereceram ao Menino. A maior parte das crianças e adolescentes era de Santiago do Cacém, havendo, todavia, representações das paróquias de S. Francisco da Serra, de S. Bartolomeu e da Abela. De enaltecer a presença de um grupo vindo de Colos e acompanhado pelos seus catequistas.
Após a comunhão, o conto “A estrela da Esperança” deu o mote para que, à saída, os magos oferecessem a cada pessoa uma “estrela da esperança” onde se podiam ler as seguintes palavras: paz, esperança, amor, luz, fé.
Certamente que em outros lugares pela Diocese fora também houve celebrações ricas onde párocos, catequistas, crianças e famílias se empenharam em solenizar este dia. Todos, como missionários, podemos e devemos fazer a experiência dos Magos: ver, partir, procurar, alegrar-se, adorar, oferecer e fazer caminho novo.

Texto: P. Agostinho Sousa, CDM/Beja
Foto: DR