segunda-feira, 11 de abril de 2016

Encontro - Formação - Infância Missionária


No dia 23 de Abril de 2016 realizar-se-á um encontro de formação para todos os responsáveis da Infância Missionária das dioceses. Este segundo encontro orientado pelo P. John Mário iniciará os trabalhos, às 09H30, no Seminário do Verbo Divino, em Fátima, abordando três pontos centrais:

1. Metodologia e a pedagogia da Infância Missionária
2. Formação de equipas
3. Envio missionário


sexta-feira, 18 de março de 2016

CHAMADOS A ANUNCIAR A JUSTIÇA E A MISERICÓRDIA !


Páscoa, este tempo de luz, enche as nossas vidas de esperança, de santidade, de alegria.

Somos chamados a comunicar a nossa experiência, o nosso encontro com Jesus Ressuscitado. Assim o fizeram aqueles que descobriram o sepulcro vazio, ou quem o viu em pessoa, ou quem o descobriu ao partir o pão. Foram tantos os que o fizeram ao longo da história. E hoje tantos homens e mulheres nos lugares mais recônditos do nosso planeta continuam a comunicar essa experiência da alegria da Ressurreição. 

Estamos chamados a ser testemunhas. O papa Francisco convida-nos a sentir e viver este chamamento neste ano tão especial: “Um Ano Santo extraordinário para viver, na existência de cada dia, a misericórdia que o Pai, desde sempre, estende sobre nós. Neste Jubileu, deixemo-nos surpreender por Deus. Ele nunca Se cansa de escancarar a porta do seu coração, para repetir que nos ama e deseja partilhar connosco a sua vida. A Igreja sente, fortemente, a urgência de anunciar a misericórdia de Deus. A sua vida é autêntica e credível, quando faz da misericórdia seu convicto anúncio. Sabe que a sua missão primeira, sobretudo numa época como a nossa cheia de grandes esperanças e fortes contradições, é a de introduzir a todos no grande mistério da misericórdia de Deus, contemplando o rosto de Cristo. A Igreja é chamada, em primeiro lugar, a ser verdadeira testemunha da misericórdia, professando-a e vivendo-a como o centro da Revelação de Jesus Cristo. Do coração da Trindade, do íntimo mais profundo do mistério de Deus, brota e flui incessantemente a grande torrente da misericórdia. Esta fonte nunca poderá esgotar-se, por maior que seja o número daqueles que dela se abeirem. Sempre que alguém tiver necessidade poderá aceder a ela, porque a misericórdia de Deus não tem fim. Quanto insondável é a profundidade do mistério que encerra, tanto é inesgotável a riqueza que dela provém” (O rosto da misericórdia, 25).

Este tempo de Páscoa e este ano jubilar sejam para nós a experiência de “praticar a justiça, amar a misericórdia e caminhar humildemente com o nosso Deus” (cf. Miqueias 6,8).


Feliz Páscoa!

Texto: P. António Lopes
Imagem: Rupnik

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

INFÂNCIA MISSIONÁRIA 2016


INFÂNCIA MISSIONÁRIA 2016

Este ano com o lema da Infância Missionária: “Com as crianças da América falamos de Jesus”, queremos transmitir por palavras a experiência interior do encontro que fizemos com Jesus.
Mas para falar é necessário primeiro ter encontrado Jesus. Ter escutado o que Ele dizia e visto o que Ele fazia.

Na  festa da Epifania,  com os Magos, procuramos Jesus para estar com Ele. 
É bom ver o ser humano à procura de Deus.
É bom ver que somos capazes de escutar a voz de Deus que fala ao coração dos homens.

Os Magos, outrora, viram uma estrela e seguiram-na. 
Também nós temos estrelas que nos guiam. O pai e a mãe são como a estrela que conduziu os Magos até Belém, junto de Jesus.  Eles são quem nos conduz à fé mediante a sua educação, que continuam a guiar-nos pelos caminhos do Evangelho, onde, dia a dia, aprendemos a ser “discípulos missionários”, onde escutamos o que Ele nos diz para depois o anunciar como convém. 
Ajudemos todas as crianças da América a falar de Jesus. 

Feliz Festa da Epifania.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

SER NATAL



Ao fundo da rua, ao virar da esquina… encontramo-nos com muitas situações sangrentas que parecem apontar que Deus se cansou e, até, se foi embora, ou então decidiu ficar fechado nos templos.
Mas Deus nem escapou nem está fechado nas nossas Igrejas.
Deus continua aí fora entre os pobres, os marginalizados, os refugiados, os migrantes, as vítimas da violência e do ódio.
Então porque não vemos a sua presença?
Possivelmente porque faltam pessoas que o tornem presente e visível.
Não são super-homens, heróis de filmes de ação. Somos nós que estamos chamados a tornar realidade no mundo de hoje a encarnação de Deus.
Deus não se encarna por magia. Não desce de um céu perdido e de maneira espectacular. Deus encarna-se e pode continuar a nascer no nosso mundo somente se nós estivermos dispostos a torna-lo presente e visível no meio das situações de dor, de sofrimento, de injustiças… mas também de esperança e de alegria.
Não é Ele quem está ausente. Somos nós que não criamos os espaços e os caminhos para que a sua Boa Nova, a Palavra feita carne possa transformar o nosso mundo e fazer com que a nossa sociedade seja mais humana.
O desafio para cada um de nós não é celebrar o Natal. É SER Natal para todos. Ser o sinal palpável da presença de Deus no mundo. É esta a nossa tarefa: Ir e “anunciar que o Reino de Deus está próximo”, que “o Reino de Deus está no meio de vós”. É através de nós que a humanidade pode experimentar a proximidade de Deus que caminha connosco em cada lugar do mundo e em toda e qualquer situação humana.
Para celebrarmos e sermos Natal, digno desse nome, temos de conjugar o verbo dar. Conjugou-o o Pai: Deu-nos o seu FILHO unigénito. Conjugou-o Maria: Maria deu à luz o seu filho primogénito para que fosse a nossa Luz.  E temos de o conjugar nós partilhando com os irmãos o pão e a consolação, a ajuda e o amor misericordioso.

Feliz Natal! 

P. António Lopes - Director Nacional das OMP
Imagem: Marko Ivan Rupnik

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

DIA MUNDIAL DAS MISSÕES – 18 de Outubro de 2015




Se quiséssemos retratar os missionários e a sua missão, diríamos, com o Papa Francisco, que eles são uns apaixonados por Jesus Cristo e, ao mesmo tempo, apaixonados pelas pessoas.
No centro está Jesus Cristo. De quem irradia uma palavrinha especial: “Ide” onde estão contidos os cenários e os desafios sempre novos da missão evangelizadora. Dele irradia uma vontade de partir para as grandes periferias da missão, a onde ainda não chegou o Evangelho.
É necessário viver este ideal missionário como um dom generoso, cheio de ardor e disponibilidade, porque o amor não se pode calar.  O Evangelho é a paixão do missionário. E a missão é colocar todos, sem excluir ninguém em relação pessoal com Cristo, até nos tornar-mos todos amigos fortes de Deus, no dizer de Sta Teresa de Jesus. 

OMP - Portugal